Os materiais sensoriais foram brilhantemente desenhados pela Dra. Maria Montessori, no final de 1800 para ajudar a criança a absorver informações abstratas, aguçar seus sentidos e classificar seu ambiente ao mesmo tempo em que usa esses materiais. Eles auxiliam a criança a pensar por si mesma usando uma abordagem sistemática.

As atividades sensoriais montessorianas refinam os cinco sentidos: tátil, visual, auditivo, olfativo e gustativo. As crianças são particularmente receptivas ao desenvolvimento de seus sentidos desde as idades de 2 a 6 anos, e é importante dar às crianças com essas idades o maior número possível de experiências sensoriais.

Os materiais sensoriais são cuidadosamente projetados. Quer sejam comprados ou feitos à mão, eles seguem os princípios básicos de Montessori. Eles têm qualidades isoladas (por exemplo, as formas geométricas introduzidas são da mesma cor e só variam em forma); eles têm um controle de erro (por exemplo, a criança não será capaz de encaixar todos os cilindros adequadamente em um bloco de cilindros se estiver fora do lugar); eles preparam a criança indiretamente para o aprendizado futuro (por exemplo, muitas das atividades sensoriais vêm com dez peças como uma preparação indireta para o sistema decimal).

O objetivo do trabalho sensorial é que a criança adquira informação clara, consciente e se torne capaz de, então, fazer classificações em seu ambiente. Montessori acreditava que as experiências sensoriais começam no nascimento. Através de seus sentidos, a criança estuda seu ambiente. Através deste estudo, a criança começa a entender seu ambiente. A criança, para Montessori, é um “explorador sensorial”.

Exemplos de materiais sensoriais

– Para a exploração de cores, formas e tamanhos:

Botões coloridos são uma boa opção. Ao classifica-los por cor, forma e tamanho, a criança trabalha o tato e a visão. Além disso desenvolve a concentração e raciocínio lógico.

Empilhar blocos de madeira de tamanhos graduados permite com que as crianças possam desenvolver a noção de tamanho. Um exemplo é a atividade com a Torre de cubos cor-de-rosa.

Uma boa opção é optar por quebra-cabeças de madeira com imagens atrativas e deixar que a criança monte sozinha.

Crie um mostruário de cores para que a criança combine os pares de cores. Comece utilizando cores primárias e a medida que a criança for conseguindo fazer as combinações corretas, você poderá aumentar a dificuldade da tarefa adicionando novas cores.

Esse tipo de atividade permite com que a criança desenvolva a memória visual e a habilidade para identificar padrões. É possível confeccionar o jogo da memória em casa, utilizando papelão com desenhos de formas geométricas.

– Para a exploração dos sons:

Para essa atividade basta colocar os feijões em uma tigela e deixar a criança brincar, enchendo uma concha de feijões e despejando-os na tigela. Dessa forma a criança passa a melhorar a identificação da origem dos sons.

Uma atividade que permite com que a criança aprimore a identificação dos sons é o uso de cilindros sonoros. Você pode construí-los com qualquer recipiente disponível em casa, preenchendo-os com objetos diferentes para que a criança possa sacudi-los (de olhos fechados) e adivinhar seu conteúdo.

Atividades envolvendo músicas possibilitam que a criança possa identificar os sons de cada instrumento e refinar sua capacidade auditiva. Encoraje seu filho a cantar, dançar e acompanhar o ritmo das músicas.

– Para treinar o sentido tátil:

Para essa atividade você pode confeccionar pares de objetos de diferentes texturas, utilizando tecidos, velcros, lixas, sementes, entre outros materiais. Então basta pedir para a criança fechar os olhos e combinar os objetos de mesma textura utilizando o tato.

Essa é uma atividade simples e uma das favoritas das crianças. Consiste em colocar objetos dentro de um saco e deixar que a criança tente identificá-los através do toque.

– Para aprimorar as percepções olfativas:

Reúna 12 recipientes idênticos com tampa e coloque um chumaço de algodão umedecido com essência dentro de cada um deles. Utilize essências com cheiros conhecidos pela criança para que ela possa identificá-los.

Uma atividade prazerosa que permite contato com a natureza. Ter um jardim em casa com ervas aromáticas pode ser uma boa opção para trabalhar as habilidades olfativas da criança.

– Para aprimorar o paladar:

A salada de frutas é multissensorial. Permite não só com que a criança possa aprimorar o paladar como também o tato, olfato e até mesmo os sons de cada mordida.

Encha seis garrafinhas de tampa conta-gotas com líquidos de diferentes sabores (doce, salgado, azedo, amargo). Deposite as gotas nas mãos de seu filho para que ao lamber ele tente identificar o sabor.

Agende uma Visita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *