As bases do aprendizado Montessori

Tempo de leitura: 4 minutos

Maria Montessori observou que a criança adquire linguagem rapidamente desde o nascimento até os seis anos de idade sem nunca ter sido ensinada, e acreditava que esse fenômeno fornecia evidências para sua teoria sobre a Mente Absorvente (Montessori, 1949). Em sua obra “A Mente Absorvente” a autora afirma que as crianças desde o nascimento até os três anos, inconscientemente, absorvem seu ambiente e se moldam a partir de qualquer informação e estímulo com que possam entrar em contato. Portanto, como os linguistas descobriram nas últimas décadas, a linguagem parece ser aprendida quase intuitivamente e a criança nasce com o instinto de decifrar e adquirir a linguagem de sua cultura (Chomsky, 2000).

As crianças são capazes de absorver a linguagem de seu ambiente e aprendem facilmente a falar, ler e escrever, se a linguagem em suas várias formas estiver presente em seu ambiente durante o período da Mente Absorvente (Montessori, 1949). Essa fase da infância Maria Montessori chamou de “Período Sensitivo”. A qualidade e a quantidade de linguagem a que uma criança é exposta durante o período sensível afetam diretamente suas habilidades e organização cerebral (Eliot, 1999).

Portanto, é fundamental que os pais conversem com seus filhos frequentemente e forneçam uma vasta gama de vocabulário. É importante ressaltar que a televisão não substitui a conversa, porque como descoberto pelos linguistas, a linguagem deve estar ligada à emoção (Eliot, 1999). As primeiras experiências das crianças com a linguagem em seu ambiente afetam muito seu desenvolvimento social, emocional e intelectual.

Escutando e conversando com a criança

Muito antes de a criança se expressar claramente na linguagem, estava ouvindo e absorvendo tudo o que ouvia. Muitas vezes, nem temos consciência de que a criança está prestando atenção, mas uma vez que ela começa a falar, fica muito claro. Aos poucos, passamos a perceber que os pequenos repetem tudo o que ouvem!

Podemos e devemos conversar com a criança desde o nascimento, com respeito e com um vocabulário preciso. Se queremos ajudar nossos filhos a falarem bem, precisamos nos adaptar a isso desde cedo.

Vocabulário

“Nada está no intelecto sem antes ter passado pelos sentidos.” (Aristóteles)

A experiência com objetos reais deve vir sempre antes de figuras que os representem ou de seus nomes. Por exemplo, se você tiver um livro com fotos de frutas e legumes, leve a criança para a cozinha e manuseie, cheire, corte e prove um pedaço de fruta; só depois deixe que a criança veja a foto no livro. Lembre-se de que a inteligência é construída com base em uma riqueza de experiências.

A criança quer aprender o nome dos objetos ao seu redor e o significado das palavras que ouve. Ela deseja poder se comunicar com sua família! Ensine ao seu filho os nomes dos objetos da casa, para que ele possa começar a aquisição de vocabulário desde cedo. As crianças expostas à linguagem rica durante o período sensível aparentemente absorvem melhor o vocabulário, despertam novos interesses, desenvolvem habilidades de conversação, além de criarem confiança social e maior independência.

Leia em voz alta

É comum que as crianças fiquem encantadas e concentradas por horas se lermos para elas; portanto, essa é a nossa chance de transmitir o amor à literatura e à leitura, ensinar fatos, valores e a pronúncia de palavras, mesmo aquelas que não são frequentemente usadas no discurso cotidiano.

Deve-se fazer um esforço para fornecer livros que mostrem todas as culturas e que não estereotipem situações e pessoas. O conteúdo do livro deve mostrar respeito pela criança, suas emoções e sua inteligência. Faça seleções cuidadosas e forneça uma estante de livros ou outro local facilmente acessível para mantê-los, para que a criança sempre encontre o que deseja, pegue e guarde sozinha.

Leitura em voz alta para bebês

Aos 6 meses de idade, os bebês se tornam menos passivos e mais interessados ​​em falar ou morder o livro. Uma boa alternativa é oferecer um pequeno brinquedo de dentição para mantê-los ocupados durante as sessões de leitura.

Por volta dos 8 meses de idade, os bebês se tornam mais ativos e gostam de virar as páginas. Incentive as crianças a fazê-lo quando for a hora. Isso ajuda a desenvolver habilidades de escuta ativas quando elas começam a antecipar o final da página.

Normalmente aos 12 meses de vida, os bebês conseguem ouvir e apontar para os objetos na página. Eles também começam a imitar os barulhos de animais durante as leituras.

Quando começam a andar, os bebês estão constantemente em movimento. Escolha seus horários de leitura com sabedoria, talvez antes de uma soneca. Comece com livros ilustrados, com relativamente poucas frases por página. Depois, adicione gradualmente livros com mais texto à medida que seu filho amadurece.

Agende uma Visita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *