O que é o ambiente preparado Montessori e como ele contribui para o aprendizado?

Tempo de leitura: 6 minutos

Quando você ouve falar em “ambiente preparado”, o que vem à sua mente?

Você imagina uma sala de aula limpa e organizada, pronta para receber os alunos? Se sim, você não está errado, mas saiba que isso é apenas parte da proposta de uma sala de aula montessoriana. Quando falamos no ambiente preparado Montessori, estamos nos referindo a um espaço planejado e composto para atender as necessidades infantis, bem como para despertar a curiosidade e interesse dos pequenos pelo mundo.

Mas como essa sala de aula funciona na prática? Como sua composição pode potencializar a aprendizagem infantil? Qual é a relação que ela tem com a natureza?

Venha conosco mais uma vez e descubra!

A teoria por trás da prática

Aqui no blog já comentamos o quão revolucionária a educadora Maria Montessori foi para sua época. Sua contribuição para a Pedagogia foi uma metodologia educacional baseada em observações empíricas do comportamento infantil, uma vez que ela atuou em casas de acolhimento para crianças com necessidades especiais e diversas escolas na Itália.

Sua abordagem científica deu origem à percepção de que a criança precisa ser respeitada em sua individualidade, de que suas necessidades físicas, tanto quanto emocionais e intelectuais, devem ser supridas para que ela se desenvolva de forma saudável.

Os materiais multissensoriais foram criados a partir da ideia de que os pequenos aprendem melhor quando estão interagindo com o mundo que os cerca. O ambiente preparado Montessori segue a mesma linha de raciocínio: dentro de um espaço controlado e seguro, é preciso ensinar a criança a lidar com os múltiplos estímulos que a cercam.

A inspiração que vem da natureza

Você já parou para pensar que, na natureza, todos os filhotes crescem em contato com o solo, com a água e ao ar livre, ou seja, imersos no arranjo natural do mundo?

O ambiente preparado parte dessa mesma noção. É claro que não é possível reproduzir todos os recursos e desafios do mundo natural, até porque nossa realidade não é a mesma dos outros animais, mas a lógica do aprendizado é a mesma.

Por exemplo, uma escova de dentes é um objeto que a criança deve aprender a manejar, pois ele está presente em sua casa e utilizado por todos. Trata-se de um elemento-chave para sua higiene pessoal e que fará parte de seu cotidiano. Nada mais natural do que manter esse objeto ao alcance dos alunos e incentivar sua utilização.

Falando em natureza, temos uma dica: se você não vive em um espaço que permite esse contato diariamente, não esqueça de propiciar o encontro de seu filho com espaços naturais, como parques e praias, sempre que possível.  

A composição do espaço físico

Para Maria Montessori, era importante que o espaço da escola despertasse o interesse dos pequenos, permitindo que eles se movimentassem livremente e utilizassem os recursos disponibilizados para se desenvolver.

Em uma sala de aula montessoriana, portanto, as cadeiras e as mesas são móveis, há tapetes no chão, os materiais e recursos lúdicos ficam ao alcance dos pequenos e elementos naturais — como rochas, plantas e até animais — fazem parte do ambiente.

Além disso, como você já deve ter lido aqui no blog, todos os materiais são dispostos em prateleiras baixas que ficam ao alcance dos pequenos.

Só há um exemplar de cada material. Quando um aluno deseja brincar ou interagir com um recurso, como a Torre Rosa, por exemplo, deve esperar até que ele seja liberado por quem quer que esteja utilizando-o no momento. Ao terminar de brincar, os alunos são ensinados a devolvê-los ao seu local de origem.  

Por fim, vale enfatizar que no ambiente preparado Montessori tudo é lavável e que os recursos estão sempre ordenados de forma a não sobrecarregar a criança.

Uma dica: em casa, mantenha os brinquedos e demais objetos utilitários em prateleiras baixas no quarto de seu filho. Essa é uma boa forma de garantir que ele acesse o que deseja e tenha o ímpeto de manter a ordem, praticando o que aprendeu em sala de aula.

A aprendizagem em uma sala de aula montessoriana

Vimos até aqui que a configuração das salas de aula é pensada para estimular as possibilidades de interação, certo? O objetivo é manter um ambiente convidativo aos olhos dos pequenos, capaz de fazer com que eles se sintam confortáveis e seguros para construir, buscar, descobrir, aprender e enfrentar desafios.

No dia a dia, os alunos se movimentam livremente, escolhem os materiais que mais chamam sua atenção, movem itens de mobília e retiram os recursos de que necessitam das prateleiras, sem depender da ajuda dos professores para isso. Trata-se de um ambiente onde a descoberta e o aprendizado são estimulados e valorizados!

É interessante notar que, nesse ambiente, os assuntos são arranjados por áreas: ​Vida Prática,​ ​Linguagem, Estímulos Sensoriais,​ Lógica e Matemática, Artes​ ​e​ ​Ciências. Não há, no entanto, um horário fixo para cada um desses campos.

Os materiais estão sempre dispostos do mais simples ao mais complexo, disponíveis para quando os alunos necessitarem deles. Assim como no dia a dia, uma atividade geralmente favorece mais do que uma única habilidade e conhecimento. Há recursos de linguagem que demandam raciocínio lógico matemático, e vice-versa, por exemplo.

Além disso, a maioria das atividades depende do contato com as mãos. Um dos pressupostos da metodologia é justamente que o sentido do tato facilita a absorção de significados e a percepção do mundo. Portanto, podemos dizer que a aprendizagem se dá majoritariamente a partir de atividades manuais.

Como você pôde ver até aqui, há uma série de características bem particulares que distinguem uma sala de aula montessoriana da metodologia tradicional.  A disposição dos materiais, os recursos que compõem o espaço,  a relação com a natureza, enfim, tudo é pensado para estimular a livre, porém segura, interação da criança com o mundo que a cerca.

É interessante notar que a organização do ambiente preparado Montessori é uma forma de incentivar a criança a organizar os próprios processos cognitivos!

Ficou interessado na metodologia Montessori e em como ela pode auxiliar o desenvolvimento emocional, cognitivo e motor de seu filho? Gostaria de saber mais a respeito? Então baixe nosso guia “Montessori: tudo o que você precisa saber!“.

1 comentário


  1. Adorei voltar a esse mundo outra vez, me fez sentir criança e lembrar de alguns momentos, de quando criança, me fazia me sentir tão pequenina, o que de fato eu era, tudo em volta era gigante rsrsr entrar um pouco nessa leitura e me deixar levar por ela, foi maravilhoso. Como arquiteta, será de grande importância para o nosso escritório, obrigada.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *