10 dicas de alimentação infantil para a criança aprender melhor

Tempo de leitura: 6 minutos

Você já deve ter ouvido falar que a alimentação tem um grande impacto em nossa capacidade de concentração, raciocínio, memorização e até absorção de novos conhecimentos, certo? Afinal, nosso corpo é feito de nutrientes e precisa estar em equilíbrio.

Com os pequenos, não seria diferente. Os alimentos que as crianças ingerem influenciam profundamente seu aprendizado e comportamento na escola.

Vale lembrar que, hoje, a adequada alimentação infantil é percebida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como um direito humano fundamental, requisito básico para o crescimento saudável das crianças de todo o globo!

Isso nos motivou a listar 10 alimentos que podem turbinar a capacidade cognitiva de seu filho. Confira!

Ovos

Você sabia que a gema do ovo é rica em gordura boa, elemento que auxilia todas as funções cognitivas de nosso cérebro? Por isso é fundamental que crianças em idade escolar tenham acesso a quantidades suficientes dessa substância.

Um ovo grande também contém as vitaminas B12, B5, B2, A e selênio, além de ferro, potássio, cálcio e zinco, quatro minerais importantes para o crescimento saudável e manutenção da imunidade.

Peixes

Peixes são os maiores reservatórios de Ômega-3, gordura poli-insaturada que potencializa a memorização e previne o cansaço mental. Além disso, a carne branca do peixe é magra.

Grãos e sementes

Aqui entram todos: amêndoas; castanhas; nozes; avelãs; sementes de girassol; grão de bico; lentilha etc. Todos esses grãos são altamente proteicos, contendo ferro, zinco e ácidos graxos essenciais, responsáveis pelo controle do sistema nervoso e funcionamento do organismo como um todo.

A inclusão dos grãos nas refeições diárias, traz inúmeros benefícios ao desenvolvimento cognitivo, pois são também fonte das vitaminas do complexo B.

Além disso, vale dizer que as nozes influem na produção de serotonina, responsável pela manutenção do bom humor!

Cereais

Além dos grãos, os cereais também possuem uma proporção alta de vitaminas, antioxidantes e minerais. Sabemos que crianças tendem a ser avessas a sementinhas, mas introduzir cereais no almoço pode ser uma boa ideia.

Quinoa, linhaça e chia, por exemplo, são fontes de vitamina E, e agem no combate aos radicais livres, protegendo a vitamina A da oxidação.

Aqui, é bom prestar atenção: os radicais livres estão presentes na maioria dos produtos industrializados, como refrigerantes, salgadinhos e bolos prontos. São moléculas instáveis e reativas que se associam rapidamente a outras moléculas e causam sua oxidação, estando associados a uma série de doenças.

Açafrão

Quem poderia imaginar que um simples tempero traria tantos benefícios para o organismo? Pois bem, o açafrão, ou cúrcuma, como é conhecido em algumas partes do Brasil, é um potente aliado na busca por sabor e saúde.

O açafrão possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, contribuindo para auxiliar o sistema digestivo e no combate ao envelhecimento das células, incluindo os neurônios.  

Frutas vermelhas

Morango, melancia, acerola, amora, mirtilo, framboesa e cereja; todas essas são consideradas frutas vermelhas e trazem uma série de benefícios para o sistema imunológico, além de prevenir o envelhecimento das células. Algumas delas, como a acerola, possuem também altas concentrações de vitamina C.

Todas elas liberam no organismo antioxidantes, experts em neutralizar o efeito dos radicais livres.

Devido à vitamina C, elas também são benéficas para a visão, o que pode ajudar nos estudos. Assim como o açafrão, seu efeito antioxidante evita a deterioração e o cansaço mental, aumentando a capacidade de aprendizagem.

Iogurte

A proteína do leite está presente no iogurte, especialmente no iogurte, que contribui para a flexibilidade da membrana cerebral e potencializa a troca de informações entre os neurônios.

Maçãs e melões

Maçãs e melões são frutas que possuem uma alta concentração de frutose e que podem ser útil na hora de substituir guloseimas industrializadas. Elas atuam na manutenção do sistema cognitivo e ajudam na concentração.

Como seu açúcar demanda mais tempo para ser processado, ele traz energia para o corpo ao invés de drená-la.  

Couve-flor e espinafre

O espinafre é rico em nutrientes que mantém as células jovens e renovadas,  melhorando a absorção de novas informações. Assim como a couve-flor, é rico em vitaminas do complexo B, que favorecem capacidades cognitivas como a memorização e a concentração.

Canela

O principal componente da canela é o cinamaldeído, que atua no combate a infecções bacterianas e fúngicas. Mas não é só isso. Assim como o açafrão, a canela funciona como um tônico para o cérebro, estimulando o bom desempenho de suas funções.

Também ajuda a combater a tensão e o cansaço mental!

O exemplo dos pais na alimentação infantil

Até aqui, demos algumas dicas de alimentos que terão um efeito positivo sobre as funções cognitivas de seu filho. Contudo, sabemos que as crianças apresentam resistência a certos alimentos, especialmente os considerados insípidos, como frutas e legumes.

O fato é que o sódio e os açúcares estão presentes em alimentos industrializados acabam afetando o paladar infantil de tal maneira que todo alimento que foge desse padrão é considerado “ruim”.

Segundo o Ministério da Saúde, o exemplo de uma alimentação saudável vem dos pais. Se os filhos não vêem os pais beber refrigerante, provavelmente não terão o impulso de bebê-lo. O mesmo acontece com frituras, doces em excesso e alimentos ultraprocessados.

Portanto, se você quer que seu filho se alimente bem, é essencial dar o exemplo, desde cedo e de forma consistente. Se a alimentação da família fora rica em legumes, frutas e verduras, naturalmente as crianças seguirão esse caminho.

O preparo das refeições

Uma boa abordagem para quebrar a barreira entre as crianças e os alimentos naturais é convidá-las para participar do preparo da comida. O momento do preparo das refeições é um estímulo para que a criança desenvolva uma consciência a respeito do que ela ingere.

Além disso, a dinâmica de preparação dos alimentos com ajuda dos pequenos favorece a criação de um vínculo familiar e afetivo. É um ótimo momento, tanto para os pais quanto para seus filhos. Todos aprendem juntos.

Portanto, atenção: convidar seus filhos a colocar a mão na massa fará com que eles tenham mais prazer ao degustar cada alimento, além de valorizar sua origem!

A alimentação infantil é um assunto sério, que tem efeito sobre toda a vida social e cognitiva da criança. Por isso é tão importante encará-la como parte fundamental da educação.

Gostou de nossas ideias sobre uma alimentação infantil mais saudável? Então compartilhe este artigo nas redes sociais e convide outras pessoas para refletir sobre esse assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *