Evitar ataques de birra

Tempo de leitura: 5 minutos

Ah, as birras… elas parecem uma força da natureza; algo com as quais precisamos lidar de maneira incansável desde os poucos meses de vida dos nossos filhos até quem sabe, a adolescência.

Até certo ponto isso é verdade: as crianças estão aprendendo o que significa se sentirem chateadas e, muitas vezes, não há nada que possamos fazer para evitar a frustração delas. No entanto, quando observamos as salas de aula infantis Montessori, é impressionante perceber como as birras são raras no ambiente; sobretudo após o período inicial de adaptação, em que os surtos de choro intenso e comovente estão praticamente ausentes. É claro que existem conflitos e, é claro, as crianças experimentam emoções negativas – essas experiências são uma parte natural da vida e algo com que a criança aprende a lidar, não a eliminar.

O questionamento de muitos pais é: “como faço para impedir que meu filho tenha ataques de birra?” E o que os professores montessorianos fazem para criar um ambiente tão harmonioso e tranquilo na escola que os pais podem tentar aplicar em casa?

Alguns conhecimentos básicos podem ajudar os pais a minimizar a frequência, intensidade e duração das birras. Ao entender as causas da frustração de seu filho e conhecer alguns princípios importantes sobre como ajudar, você pode fazer uma diferença positiva na experiência de vida inicial de seu filho.

Aprendendo a lidar

As birras são uma parte bastante normal da vida de crianças de 1 a 5 anos. É normal que elas comecem um pouco depois de um ano e terminem mais cedo, mas qualquer ocorrência nesse intervalo é bastante normal. Seu filho está aprendendo que as coisas nem sempre acontecem como ele quer. E como pais, vocês devem ajudá-los a aprender a lidar com essas emoções.

Ataques de birra podem ser perturbadores para os pais. É difícil perceber que o filho está realmente pedindo ajuda. Ele está sobrecarregado com a emoção que está sentindo e precisa de apoio para se acalmar. Não é hora de levar para o lado pessoal e perder a paciência.

O que fazer para evitar?

Trouxemos algumas dicas para afastar as birras quando você percebe os primeiros sinais de que seu filho está perdendo o controle:

1. Seja prevenido: leve na bolsa alguns jogos simples e alguns lanches, se você pretende que seu filho espere pacientemente na recepção de um consultório médico, por exemplo.

2. Identifique os sentimentos: Faça perguntas ao seu filho cujas respostas indiquem se a irritação é proveniente do cansaço, da fome, do sono ou até mesmo de alguma dor.

3. Demonstre empatia: ao ver a insatisfação do seu filho demonstre que percebeu e ofereça-se para ajudar a melhorar a situação. Ajude seu filho a se acalmar, pois no momento da birra isso pode ser o melhor a se fazer, já que a criança dificilmente ouvirá uma bronca ou acatará a um comando, pois está fora de controle.

4. Dê escolhas: não precisa haver imposição, seu filho tem o direito de fazer escolhas e isso o faz se sentir mais importante e independente. Em alguns casos é necessário que os pais determinem o que deve ser feito, mas sempre que possível permita que seu filho possa tomar algumas decisões.

5. Estabeleça rotinas: os rituais estabelecem limites saudáveis à criança, e esses limites são fundamentais para evitar ataques de birra. Tenha uma programação diária e tente segui-la criteriosamente. É importante que a criança saiba que existe hora para almoçar, brincar, tomar banho, dormir, etc.

6. Incentive a criatividade: Permita que a criança possa expressar em desenhos como está se sentindo, ou o que a deixou com raiva, e elogie sua capacidade de se expressar. A arte e a criatividade são “calmantes naturais”.

É difícil ser pai e permanecer equilibrado diante de situações embaraçosas, sobretudo em público. Mas sua dedicação e paciência serão recompensados a longo prazo. Eles aprenderão que quando você diz não, você quer dizer não; e quando você diz sim, você fala sério também. Estabelecer limites é importante, se você sempre ceder, corre o risco de que seu filho dê birras ainda maiores e mais frequentes.

Perguntas frequentes

1. Não devemos simplesmente ignorar a birra?

Não é bom ignorar uma criança quando ela está tendo uma birra. É melhor oferecer apoio e dizer que você está disponível para quando ela precisar. Se a birra não é boa para os pais, é muito menos para as crianças. Naquele momento elas estão desconfortáveis, chateadas, irritadas, carregadas de sentimentos difíceis de lidar. Deixe que seu filho saiba que pode contar com seu apoio, tanto em momentos bons como nos ruins.

2. O que fazer se estivermos em público no momento da birra?

Existem basicamente duas opções:

1. Ir para casa – se você achar difícil a observação das outras pessoas, é melhor sair. Isso pode significar abandonar um carrinho de compras cheio e voltar para casa. Mas não vale culpar a criança por isso. Lembre-se de que a escolha foi sua.

2. Ficar e dar apoio – você pode permanecer e fazer o que você faria mesmo estando em casa. Se você tiver mais de um filho com você, verifique se eles estão seguros. E então ofereça o máximo de apoio possível para ajudar seu filho a se acalmar da birra e recuperar o controle. As pessoas que estiverem observando prestarão mais atenção em como você é um pai amoroso e paciente, do que no barulho que seu filho está fazendo.

Agende uma Visita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *